Autoridade da Concorrência acusa supermercados de concertação de preços

No fim de novembro, a Autoridade da Concorrência (AdC) acusou o Modelo Continente, o Pingo Doce, a Auchan e a Active Brands de uma alegada concertação de preços. Além disso, a mesma entidade avançou com uma acusação sobre um diretor da Active Brands com base nos comportamentos investigados entre 2008 e 2017.

Em comunicado, a AdC "concluiu que existem indícios de que as cadeias de supermercados utilizaram o relacionamento comercial com o fornecedor Active Brands (que integra o grupo económico Gestvinus/João Portugal Ramos) para alinharem os preços de venda ao público (PVP) dos principais produtos deste último, em prejuízo dos consumidores".

Segundo se consta, a Active Brands era, durante o período em causa, a fornecedora de, entre outras bebidas e vinhos, das marcas Licor Beirão e Porto Velhotes. A AdC afirmou no mesmo documento que aconteciam "contactos bilaterais com o fornecedor para garantir, através deste, que todos praticam o mesmo PVP no mercado retalhista".

"A AdC tem atualmente em curso mais de dez investigações no setor da grande distribuição de base alimentar, algumas ainda sujeitas a segredo de justiça. O setor alimentar representa uma prioridade para AdC pelo peso que representa nos orçamentos das famílias", concluiu o documento.

Supermercados visados contestam Autoridade da Concorrência

Na mesma semana em que foram divulgadas as acusações da AdC, as cadeias de distribuição em causa manifestaram-se, garantindo que vão contestar as acusações de que são alvo.

"Perante a nota de ilicitude da AdC, o Pingo Doce repudia a acusação feita e vai contestá-la, não deixando de apresentar os seus argumentos num processo em que está seguro da sua conduta e do seu trabalho diário para levar até aos consumidores portugueses as melhores oportunidades de preço e promoções, e os maiores descontos", referiu o Pingo Doce em comunicado.

Por sua vez, a Auchan refere que irá apresentar uma contestação à acusação que recebeu por parte da referida entidade.

Numa nota enviada às redações, a Sonae MC, dona dos supermercados Continente, "repudia categoricamente a acusação de envolvimento em qualquer participação no acordo ou prática de concertação de preços com qualquer outro operador económico".